Programa "Reabilitar para arrendar" já tem 144 candidaturas

16-07-2015

Em apenas quatro dias, o programa "Reabilitar para arrendar" recebeu 144 candidaturas. Dirigido a pessoas coletivas e individuais que pretendam reabilitar imóveis e estejam depois disponíveis para os colocar no mercado de arrendamento com rendas condicionadas, este programa deixa de fora os proprietários de prédios que estejam ainda em herança indivisa. E, para aceder ao programa será ainda necessário que o imóvel tenha 30 ou mais anos e que as obras sejam gerais. Ou seja, não serão aceites candidaturas para intervenções parciais.

Em declarações ao Dinheiro Vivo, o presidente do Instituto da Habitação e da Reabilitação Urbana (entidade a quem cabe a gestão do programa), Vítor Reis, referiu que das 144 candidaturas já recebidas, 5 estão completas (ou seja reúnem toda a documentação exigida). A estas deverá ainda juntar-se dentro de pouco tempo a da Misericórdia do Porto, que tem 52 edifícios sinalizados para avançar. Ao que foi possível apurar, o custo da reabilitação deste lote de imóveis rondará os 10 milhões de euros.

O "Reabilitar para arrendar" arrancará com uma dotação inicial de 50 milhões de euros - sendo 50% financiados pelo Banco Europeu de Investimento; 30% pelo Banco de Desenvolvimento do Conselho da Europa e 20% pelo IHRU. A previsão é que esta verba seja absorvida ao longo destes próximos três anos, mas o valor poderá ser reforçado, se se esgotar Programa "Reabilitar para arrendar" já tem 144 candidaturasantes.

Uma das preocupações manifestada pelos proprietários tem exatamente a ver com os valores, considerados diminutos, para já disponíveis, ainda que o programa tenha merecido aplauso dos senhorios. Aliás, o programa esteve na origem da assinatura de um protocolo de cooperação entre o IHRU e a Associação Lisbonense de Proprietários , que vai criar um gabinete de apoio através do qual será reforçada a divulgação e o apoio aos senhorios.

InDinheiroVivo